Primeiro investimento imobiliário? Confira 8 dicas para começar

As pessoas estão buscando mais informações sobre investimentos e, entre os termos mais pesquisados, estão aqueles que fazem parte do mercado imobiliário.

Para você ter uma ideia, indicadores do Google Trends mostram que, nos dois últimos anos, a expressão FII (Fundo de Investimento Imobiliário) aumentou em quatro vezes no que diz respeito ao volume de pesquisa.

Nomes fortes do mercado vêm educando a população para a conscientização de que, sim, é possível qualquer pessoa realizar bons investimentos, e o melhor, de forma independente.

Por isso é que empresas especializadas, como as fintechs, estão apostando cada vez mais neste segmento. As demandas pela independência financeira e pela rentabilidade do próprio dinheiro têm democratizado o mercado, viabilizando, assim, o acesso que antes era oferecido somente para agentes financeiros.

Para lhe ajudar a entender mais sobre investimentos imobiliários, e sobre como investir com segurança e ter rentabilidade neste setor, separamos oito dicas que lhe darão uma boa base para começar.

Vamos lá?

1. Entenda o investimento imobiliário e conheça suas vantagens

Engana-se quem ainda pensa que o mercado imobiliário se resume em financiar a casa própria, sonho de grande parte dos brasileiros.

Da outra ponta desse tipo de financiamento está o investidor, que é quem empresta dinheiro para fazer este mercado girar.

Há pelo menos 5 formas para você investir em imóveis, se beneficiando do processo da especulação imobiliária. As principais vantagens são:

  • É um dos investimentos mais seguros que existem;
  • Há grande potencial para valorização futura, pois é um mercado em que sempre há demanda, mesmo quando está baixa;
  • É uma forma rentável de investimento a longo prazo.

2. Defina um valor para começar

Começar a investir requer planejamento e você já deve saber que, antes de investir de fato, deve fazer sua reserva de emergência, pois, diferentemente de investimentos de alto risco, ela poderá ser retirada a qualquer momento, em caso de eventualidades.

O ideal é definir qual será o valor destinado para investir em imóveis, sem ter que mexer na reserva que já possui. Um exemplo seria empregar 25% do seu patrimônio neste mercado.

Como você está conhecendo agora este nicho, é importante estabelecer um valor relativamente baixo e ver como funciona o processo.

Uma das vantagens do crowdfunding imobiliário é que, atualmente, temos acesso a diversas opções e que não precisam, necessariamente, de grandes aportes. Hoje já é possível investir com R$ 5 mil.

3. Invista também em conhecimento

Mesmo com toda a facilidade de acesso às informações sobre investimentos que citamos acima, este é um mercado que merece muita atenção e estudo, pois não é uma área de fácil compreensão em um primeiro momento.

Se, hoje, você está começando nesse meio, saiba que há muito ainda a descobrir, e que o principal beneficiado será você mesmo, pois saberá exatamente o que fazer com o seu dinheiro e como obter os melhores rendimentos.

Livros de economia, finanças e investimentos são excelentes aliados, quase obrigatórios para todo investidor ou estudioso que busca se aprofundar nesta área.

Aqui vão duas dicas de livros muito relevantes: “O investidor inteligente”, de Benjamin Graham, e “Os segredos da mente milionária”, de T. Harv Eker.

Além disso, na internet você também encontrará ótimas referências para conhecer mais sobre este universo (como o nosso blog!).

4. Pesquise as alternativas de investimento

Essa é uma dica que complementa a que sugerimos acima. Somente estudando o mercado é que você conseguirá compreender as particularidades de cada modalidade existente no ramo. Existem várias opções e, abaixo, selecionamos as cinco principais.

Imóveis na planta

Essa é uma boa forma de investimento, pois o adquirente compra o imóvel na planta por um valor mais acessível e, quando ele fica pronto, pode vender ou alugar por um valor bem acima do que ele aplicou inicialmente. É um tipo de investimento feito, geralmente, de forma individual.

Compra de terreno

Caso não queira apostar em imóveis na planta, uma opção é adquirir um terreno ou lote bruto (que costuma ser bem mais econômico), observar a valorização que se dará com o tempo e revender ou construir para alugar.

Locação comercial ou residencial

A locação de imóveis comerciais e residenciais está entre as opções mais visadas pelos investidores.

Ela garante rentabilidade contínua ao longo dos anos, além de uma possível valorização da região onde o imóvel está localizado, agregando valor ao preço do aluguel.

Fundos imobiliários (FII)

Os fundos imobiliários são uma das formas mais tradicionais de apostar em imóveis. Grupos de pessoas investem no mesmo fundo, adquirindo cotas.

Este fundo, por sua vez, é gerido por um administrador, que é a pessoa responsável por encontrar os investimentos mais interessantes para o grupo.

Crowdfunding imobiliário (CII)

O crowdfunding imobiliário consiste no financiamento coletivo de imóveis e grandes empreendimentos a preços mais acessíveis.

É uma forma de investimento intermediada por fintechs que utilizam plataformas online para gerir ofertas e captar projetos para urbanizadoras. Contudo, é bem menos complexa do que os Fundos Imobiliários (FIIs).

5. Contrate um especialista

Se você não quer investir tempo pesquisando, mas não abre mão de boas recomendações, vale a pena apostar em empresas que possam lhe prestar consultorias sobre as dúvidas que possam surgir no meio do processo. Além disso, dentro dessas empresas, existem curadorias para garantir o sucesso da sua aplicação.

Lembre-se, porém, que a assistência de um especialista não impede que você tenha autonomia sobre os seus investimentos. Com o conhecimento que você vai adquirindo ao conversar com quem entende do mercado, conseguirá analisar as melhores opções, sendo mais independente e racional quanto ao seu dinheiro.

6. Tenha paciência e disciplina

Saber investir requer paciência e tempo para alcançar a rentabilidade ideal proposta pelo projeto. E, quando falamos em imóveis, não poderia ser diferente.

Apesar de ser um negócio que garante bom retorno e segurança, este não é um investimento em que o lucro aparece em poucas semanas ou meses.

Isso ocorre porque o que faz com que um imóvel se valorize (crescimento demográfico e melhoria de infraestrutura, por exemplo) acontece aos poucos.

Por isso, é fundamental ter uma boa reserva de emergência antes de investir. Assim, você ficará sossegado enquanto o dinheiro rende e, quando o prazo se encerrar, poder tirá-lo e aproveitá-lo da forma que preferir.

7. Diversifique sua carteira

Não é porque você está dando seus primeiros passos no mercado que precisa fazer uma única aposta.

Dividir o seu dinheiro em modalidades de investimento diferentes, compondo uma carteira mista, que varia entre rendimentos de alta e baixa liquidez, é uma boa opção.

A partir daí, você vai testando e vendo como é a rentabilidade de cada um e, no final, saberá qual é, ou quais são, o que mais tem a ver com o seu perfil.

8. Aposte em um grupo para investir juntos

Como este está sendo seu primeiro investimento imobiliário, é aconselhável se juntar a outros pequenos investidores para fazer sua primeira aposta no mercado. Essa é outra vantagem do crowdfunding imobiliário.

Mesmo que você não conheça ninguém pessoalmente que esteja no mesmo patamar de investimento, o financiamento coletivo permite que você tenha acesso a boas ofertas junto de outras pessoas.

Ou, ainda, pode indicar familiares e amigos para aplicarem na mesma oferta que você escolheu.

Conclusão

Percebeu como dar os primeiros passos no mundo dos investimentos não é uma missão impossível?

Com informação, estudo e planejamento, você terá um ótimo começo e, com o tempo, vai ganhar experiência no mercado e alcançar o sucesso que deseja.

Quer saber mais sobre uma das formas mais atuais e rentáveis de investir em imóveis? Entenda como funciona o crowdfunding imobiliário!