Como investir em imóveis com pouco dinheiro

O investimento é muito simples. A pessoa interessada compra um imóvel, imobilizando o seu dinheiro na compra da propriedade em questão e, assim, conta com duas possibilidades de ganho:

  • O investidor pode ganhar com a valorização do imóvel dentro do mercado de imóveis;
  • O investidor pode ganhar dinheiro com o aluguel, caso consiga alugar a propriedade.

Em ambas as situações, é notável que é possível ganhar bastante dinheiro. Até aqui não temos muitas dificuldades em compreender o mercado imobiliário, correto?

Acontece que…

Comprar imóveis ainda é uma opção para poucos

Qual é o valor mínimo de investimento para entrar nesse mercado imobiliário?

Posso investir R$ 10.000,00? Existe algo que me garanta, ou que possa sugerir uma facilidade de retirar o meu dinheiro investido, com lucros, depois de alguns anos?

Não. Na verdade, o mercado imobiliário é rentável e muito interessante, mas, para conseguir entrar nele, com risco minimizado e pouca “dor de cabeça”, a pessoa terá que aportar um valor alto e contar com dinheiro “livre” para poder arcar com eventuais despesas que possam ocorrer.

Tudo isso acaba tornando o mercado de imóveis algo restritivo para boa parte da população. E não é só no Brasil, no mundo inteiro! Para lhe dizer a verdade, o valor de entrada talvez seja o fator mais “negativo” deste mercado.

Dificilmente um investidor vai conseguir adquirir uma casa ou apartamento para especulação imobiliária por menos de R$ 100.000,00. Uma casa geminada localizada em cidades de interior, por exemplo, já custam mais do que R$ 100.000,00.

Observando a média salarial do brasileiro, podemos dizer que conseguir acumular R$ 100.000,00 é um feito para poucos, sendo que, após conseguir acumular todo esse valor, a compra da propriedade não será garantia de rendimento, e tão pouco de fim dos custos.

Custos e despesas ao comprar imóveis

Além do valor extremamente alto para conseguir começar a investir no mercado imobiliário, a pessoa que comprar um imóvel terá que se ater a algumas obrigações. Dentre elas temos o IPTU, um imposto municipal cobrado no início calendário de todos os anos.

Dependendo do valor do imóvel, o valor do IPTU pode ser bem alto. Na grande maioria, o valor do IPTU acaba sendo calculado com base no valor venal da propriedade, ou seja, em base de uma fração do valor do imóvel. Sendo assim, o IPTU pode acabar não sendo muito caro, mas segue como um custo que acaba pesando no bolso de qualquer um. Após o IPTU, ainda temos despesas com a manutenção da propriedade em si.

Se a mesma não possui inquilino, ou de repente é um terreno baldio, a propriedade vai acabar exigindo a manutenção preventiva, como uma forma de proteger o investimento feito (lembrando que o investimento, como vimos, é alto).

Tudo isso envolve mais custos. Ou seja, querendo ou não, o investimento em imóveis pode lhe render lucros bem superiores ao valor investido, mas isso pode acabar levando tempo e exigindo mais aportes a fim de preservar tudo que foi investido.

Alternativas para investir em imóveis com pouco dinheiro

Fundos de Investimento Imobiliário

Uma alternativa à compra de imóveis são os investimentos em Fundos Imobiliários. Eles são compostos por uma série de empreendimentos, que são divididos em frações chamadas “cotas”, e os investidores podem comprá-las. Geralmente, estes fundos possuem taxa de administração que pode variar entre 0,25% a 2% ao ano.

De maneira resumida, o processo de investimentos nesses fundos funciona da seguinte forma:

  • Você pode comprar cotas do fundo;
  • Essas cotas podem render mensalmente para você (distribuição de dividendos);
  • Você vende essas cotas futuramente.

A rentabilidade desses fundos varia bastante, conforme administração de quem os monta e risco dos investimentos. Portanto, avalie o investimento que você pretende fazer e estude bem o fundo no qual você pretende investir.

Crowdfunding de Investimento Imobiliário

Uma outra alternativa excelente a compra de imóveis são os investimentos coletivos (crowdfunding) imobiliários. De forma semelhante aos fundos imobiliários, o crowdfunding também pode lhe proporcionar participação em empreendimentos dos mais variados.

No crowdfunding você escolhe o empreendimento que quer investir, analisando o risco, prazo, rentabilidade, entre outros fatores. Declara o quanto deseja investir e se junta a dezenas ou centenas de investidores que também querem investir naquela oferta. No prazo combinado, o empreendimento devolve o dinheiro ao investidor com a rentabilidade concretizada.

Cada empreendimento ofertado nestas plataformas onlines tem suas características e você pode escolher qual mais combina com seu perfil, construindo assim sua própria carteira de investimentos imobiliários.

A rentabilidade dessas ofertas geralmente é calculada com base em 3 fatores: a velocidade das vendas, o faturamento e o valor do metro quadrado vendido.

Como este mercado é regulamentado pela CVM 588, por obrigação, essas plataformas precisam inserir, em cada uma de suas ofertas, uma série de detalhes para que cada investidor possa analisar minuciosamente.

O valor mínimo destes investimentos varia de acordo com a plataforma. Em algumas, o investimento mínimo é de R$ 5 mil; em outras, R$ 1 mil, valor que representa uma fração, quando comparamos ao investimento direto em imóveis.

Tem interesse em investir no crowdfunding imobiliário? Veja nossas ofertas.